top of page

Consagração de bebês



A chegada de um bebê em uma família é uma bênção de Deus que requer muitos cuidados, atenção e amor. Após os primeiros dias da chegada do bebê ao lar, os pais cristãos, movidos por sua fé e gratidão preparam-se para consagrar o seu bebê ao Senhor.

O site dicionário online de Português apresenta o significado de consagração como:derivação feminina. singular. da palavra consagrar oferecendo o ato de consagrar como algo dedicado a Deus, consagrar uma pessoa; consagrar a igreja ao Senhor; consagrar-se na fé.

Uma outra pesquisa realizada no site: A origem da palavra atribui a palavra consagrar o seguinte sentido:

“Consagrar” vem de “sagrar”, que vem de SACRARE, “tornar sagrado”, de SACER, “sagrado, dedicado, abençoado”.

É uma palavra derivada de uma raiz do Indo-Europeu SAQ-, “unir, restringir, cercar, proteger”, o que é o caso de um juramento ou consagração.

A consagração também é um ato de adoração ao Deus Todo Poderoso.

O escritor cristão A.W.Tozer afirma que: “a adoração é uma joia perdida da Igreja Evangélica”, claro que ao dizer isso, ele não generaliza todas as igrejas mas desperta os cristãos para uma procura pela legítima de sua adoração.

Uma das diversas vertentes da adoração é a consagração dos bebês.

O Sacramento do Batismo é uma joia a ser compartilhada com o cristão maduro, a família cristã compreende que o seu bebê não possui a consciência necessária para discernir o sacrifício de Cristo porém é responsabilidade dos pais ou responsáveis inserir o seu bebê na adoração a Deus.

A adoração e a consagração são como as margens de um rio, elas fluem juntas e percorrem o mesmo caminho. O apóstolo João descreveu sobre o rio que ele viu em suas visões : “Então o anjo me mostrou o rio da água da vida que, claro como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro."Apocalipse 22:1

O acesso ao rio de Deus compreende a adoração como uma celebração e a consagração como adoração, onde uma complementa a outra.

Consagrar um bebê ao Senhor não é apenas um sensação ou uma declaração apenas em palavras. O autor Ronald Allen(2002),ao compor um quadro sobre adoração explana que:

Adoração não é dar de má vontade ou prestar um serviço obrigatório; celebramos a Deus quando damos a ele com alegria e o servimos com integridade. A adoração não é a música indiscriminada mal tocada, nem mesmo a boa música bem executada (...) Adoração não é suportar distraído o sermão; celebramos a Deus quando ouvimos a sua palavra com prazer e procuramos ser moldados por ela.

Por mais lindo que seja o bebê é a adoração sincera dos pais, a Deus, que faz com que a consagração flua. Consagrar um bebê não é uma mera formalidade, ou uma forma de preencher um vazio, até que o momento do sacramento do Batismo se consolide.

A palavra consagrar ocorre duas vezes no Novo Testamento e ambas são descritas no livro de Hebreus para evidenciar através da pessoa de Jesus, a importância dessa atitude de consagração.

“Porque a lei constitui como sacerdotes homens que têm fraquezas, mas a palavra do juramento, que veio desde a lei, constitui o Filho, consagrado para sempre.” Hebreus 7:28

A consagração é uma ação da adoração do ofício do sacerdote.

Na antiga aliança, as leis de Moisés marcaram os livros do Pentateuco com palavras de instrução do próprio Deus para o seu povo, e isso inclui os bebês.

No livro da lei, conhecido como Levítico, o capítulo 12 aborda acerca da purificação da mulher após o parto, e diretrizes para adoração e sobre a pureza do cerimonial são um parâmetro para a família cristã que deseja consagrar o seu bebê ao Senhor.

Assim, Cristo o único e perfeito sacerdote estabelece uma conexão entre o Velho Testamento e o Novo Testamento, elevando a adoração e deixando explícito que o sacerdócio de Cristo é superior ao levítico.

Perceba que porque a palavra do juramento constituiu, Jesus consagrado para sempre, a apresentação de um bebê não é apenas um ritual de purificação ou muito menos um mero cerimonial mas uma adoração consciente do privilégio de acesso, do bebê e da família cristã à presença de Deus.

“Tendo pois irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é pela sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus.” Hebreus 10:19-21

É a revelação dessa divina e permanente expiação de Cristo que difere o sacramento do Batismo da consagração do bebê.

A família cristã que discerniu pelo Espírito Santo a eficácia do sacrifício de Cristo, entra no Santo dos Santos trazendo o seu bebê em seus braços em adoração ao Senhor, a família vestida da sua estola sacerdotal espiritual consciente das suas responsabilidades em relação ao bebê, consagra a sua própria vida e principalmente a vida do bebê oferecendo todo o suporte material e espiritual conduzindo o bebê em seu crescimento, até que ele cresça e amadureça.Com a chegada da maturidade e fazendo uso do seu livre-arbítrio, o jovem que outrora foi um bebê consagrado, professa Jesus como seu Salvador e enfim recebe o selo da graça através do Batismo.

Mas até que esse momento chegue é a família cristã que zela pelo crescimento do bebê juntamente com Deus.

As sábias palavras encontradas no livro de Provérbios atesta:

“Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.” Provérbio 22:6

A consagração do bebê não é uma adoração de apenas um passo ou de apenas de um dia de cerimonial, mas ela é um caminho que deve ser percorrido pela família cristã e o bebê juntos. A consagração é uma caminhada contínua da família com Jesus selada pelo óleo do Espírito Santo.

O óleo consagrado ao Senhor é um componente extremamente valioso para consagração, e o derramar do azeite ou do óleo da unção sobre alguém simbolizava que aquela pessoa é separada para o Senhor.

No livro de Êxodo, Deus instrui a Moisés em relação ao azeite da unção.

“Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo: Tu, pois, toma para ti das principais especiarias, da mais pura mirra(…)canela aromática, cálamo aromático,(...) cássia(…) e azeite de oliveiras. E disto farás o azeite da santa unção” (Ex 30.22-25).

Assim como o assunto consagração se eleva quando Jesus torna-se consagrado para sempre, a unção com o óleo se eleva quando o filho de Deus, atrela, a unção, a pessoa do Espírito Santo. As palavras de Jesus são profecias do Velho Testamento e são testemunhos vividos no Novo Testamento. Podemos ver essa relação na narrativa de Lucas onde Jesus menciona sobre a unção exatamente como o profeta Isaías descreveu em Is 61:1

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu para pregar o Evangelho aos pobres. Ele me enviou para proclamar a libertação dos aprisionados e a recuperação da vista aos cegos; para restituir a liberdade aos oprimidos, e promulgar a época da graça do Senhor”.Lc 4:18-19

Há uma particularidade no óleo da unção que conecta as gerações pois o óleo também é um elemento contínuo.

O óleo da unção que é abrigado no altar unge pastores, unge os obreiros, unge os enfermos, unge as alianças para o matrimônio e do mesmo óleo que ungiu as alianças dos pais é ungido a cabeça do bebê no dia da consagração.

A unção do Senhor é algo irrevogável!

O ato de adoração de levar o bebê para ser consagrado ao Senhor e receber uma unção é o diferencial que a família cristã deve buscar.

Por mais amado e desejado que o bebê seja, a consagração é uma adoração a Deus que resulta na unção .

“Quem me oferece sua gratidão como sacrifício, honra-me, e eu mostrarei a salvação de Deus ao que anda nos meus caminhos. " Salmos 50:23

Que as famílias cristãs tenham a alegria de consagrar seus bebês ao Senhor Deus Todo Poderoso e sejam abençoadas com a graça e a paz do Senhor Jesus Cristo.

Paty Ferreira- Escada da Fé

2022

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Ana

bottom of page